2019-03-06T20:15:38+01:0006/03/2019|Tags: , , , |

By: Leonel Cuevas – Solution Sales LATAM

Nos primeiros dias de dezembro, aconteceu em Buenos Aires a GSMA Mobile 360 Series América Latina, da qual a Valid participou junto com outras empresas expoentes do setor. Nas diferentes apresentações e painéis de discussão foram abordados os principais desafios da indústria para o futuro, sendo a rede 5G um dos temas centrais. No evento, a GSMA apresentou seu relatório anual “A Economia Móvel na América Latina e no Caribe 2018”, que abordou notícias importantes sobre a região.

De acordo com esse relatório, existem dois acontecimentos principais na América Latina e Caribe que permitem estabelecer as bases para a implementação de redes 5G.

Por um lado, há um aumento crescente de assinantes na região, que em meados de 2018 atingiu um total de 442 milhões de assinantes únicos e poderá ter 517 milhões até o ano de 2025. Esse número representará 10% de todos os novos assinantes em todo o mundo. De qualquer forma, na região, existem diferentes níveis de penetração: enquanto países como a Argentina, Chile e Uruguai estão perto de saturar seu mercado total, outros, como Guatemala, Honduras e Nicarágua ainda mantêm níveis relativamente baixos de penetração.

Por outro lado, a utilização de smartphones vem crescendo em toda a região mesmo diante de pressões macroeconômicas e desvalorização de moedas, o que representa uma dificuldade extra. No final de 2017, as conexões através de smartphones atingiram 417 milhões, representando 62% do total. E, durante o primeiro semestre de 2018, essa participação aumentou para 64%. As projeções de toda a região nos permitem esperar um total de 189 milhões de novas conexões com smartphones até o ano de 2025, chegando assim a uma adoção de 78%.

Essas são as duas tendências que impulsionarão as implantações de redes 5G em toda a região e, embora testes já estejam sendo realizados e alguns lançamentos comerciais já estejam sendo planejados para 2019, estima-se que já em 2025 a participação de conexões na tecnologia 5G seja em torno de 8%. Embora essa projeção possa ser interpretada como baixa, o fato é que os investimentos em 4G ainda estão acontecendo e, no momento, o uso desse serviço de tecnologia é relativamente baixo, de 35% do total de conexões. Espera-se que, até o final de 2018, a tecnologia 4G ultrapasse a 3G como a tecnologia dominante.

Por essa razão, podemos dizer que o impacto da nova rede 5G vai se materializar na próxima década, atingindo um total de 62 milhões de conexões em 2025. Os países destaques como líderes na adoção dessa tecnologia são: Coréia do Sul, Estados Unidos e Japão; e, na região, espera-se que o México seja o primeiro mercado em que serviços comerciais 5G sejam lançados.

O 5G desperta grande interesse por causa do seu enorme impacto transformador na América Latina, pois enquanto a indústria efetua a transição de 4G para 5G, espera-se que os serviços móveis desempenhem um papel importante em setores verticais como mineração, manufatura, agricultura e cidades inteligentes, que não vão parar de crescer. Nesse cenário, é previsto que o setor empresarial será o principal responsável por novas conexões 5G e que a Internet das Coisas para uso industrial aproveitará ao máximo os novos recursos e capacidades dessa rede.

Fonte: Relatório da GSMA Association – A economia móvel na América Latina e no Caribe 2018.