2019-06-04T21:00:48+01:0004/06/2019|Tags: , , , |

Escrito por Alberto Hernandez – Diretor de Operações da Valid

Os bancos comunitários estão em uma das condições econômicas mais férteis para o crescimento hoje em dia. Uma combinação de taxas de juros baixas, uma economia em crescimento e regulamentações mais frouxas criou condições ótimas para todas as instituições bancárias crescerem.

Mas, mesmo com essas oportunidades, os bancos comunitários estão perdendo para a concorrência. Alguns dados recentes nos mostram que, embora esses bancos sejam 50% das agências nos EUA, só observaram um crescimento de 20% nos depósitos nos últimos 3 anos.

Como eles não têm o orçamento nem o talento técnico de gigantes financeiros como JPMorgan Chase ou Bank of America, precisam se esforçar para oferecer os serviços modernos (e a segurança) que os clientes estão aprendendo a exigir.
Não é mais uma questão de ser um banco online com portal para pagar as contas. Isso é o mínimo que o consumidor espera. Em vez disso, os bancos comunitários devem se concentrar em oferecer aos clientes os mesmos serviços inovadores com a mesma segurança de ponta que a concorrência. Ao combinar isso com o atendimento ao cliente primoroso e o grande suporte ao público que esses bancos sempre ofereceram, a oportunidade é grande para modernizar e impedir que os clientes busquem outras opções.

Os bancos comunitários devem aproveitar seu tamanho relativamente pequeno e as relações mais próximas que têm com os clientes para ser mais ágeis na resposta às suas demandas.

A segurança e a confiança em pagamentos, particularmente para pequenas empresas, é muito importante. Sugestões de melhorias de segurança ou modificações aos sistemas de pagamento tendem a não dar em nada com as grandes corporações, afinal, fazer esse tipo de mudança em sistemas de pagamento em nível empresarial não é uma tarefa fácil. No entanto, os bancos comunitários são pequenos e ágeis na hora de atender as demandas dos clientes e aqueles que conseguirem fazer isso sairão na frente.

Mas, para a sorte deles, os bancos comunitários não precisam sempre se comprometer com esse nível de inovação por conta própria.

Na última década, uma série de opções de pagamentos e segurança terceirizados chegaram ao mercado, muitas delas específicas para ajudar as pequenas organizações a melhorar sua infraestrutura de tecnologia para atender melhor os clientes. Os bancos comunitários precisam pensar em como vão aproveitar essas parcerias para atender as demandas dos clientes em vez de tentar desenvolver esses tipos de soluções por conta própria.

Leia o artigo também na PaymentsSource. (Apenas em inglês)