Por: Franco Zaro, Diretor de Desenvolvimento de Negócios e Suporte a Vendas da Valid

Como um bom chileno, sou muito fã de futebol e me lembro que 2014, ano da Copa do Mundo do Brasil, foi o ano da selfie. E 2018, ano da Copa da Rússia, foi o ano da transmissão online (streaming), o que nos permitiu estar conectados em tempo real com os jogadores no Instagram ou YouTube. A pergunta agora é: qual será a tendência em 2022 em Catar?  Depois de nossa grande experiência na IoT Tech Expo no Vale do Silício, nos EUA, em novembro de 2018, junto com os players mais inovadores do setor, a conclusão é: a resposta mais provável é que seja a “blockchainização” de tudo!

O blockchain foi criado para dar suporte às criptomoedas, que, na época, foram uma resposta a uma crise bancária e a um descrédito geral nos bancos durante os anos 1990. Mas hoje, graças à tecnologia, o blockchain pode ser usado com segurança não só em transações financeiras como também em qualquer coisa que exija mais do que uma interação única.

Qual é o segredo? Descentralizar e integrar.

Vamos usar o banco como exemplo:

Um banco é tradicionalmente uma rede extremamente centralizada em que todo o nosso dinheiro e transações são processados, controlados e aprovado por uma única entidade.  Já os fornecedores de bitcoins ou criptomoedas usam um modelo descentralizado chamado blockchain, que nos permite ter diversas cópias desse modelo e integrar quantos sistemas quisermos através de uma rede peer-to-peer. Cada transação tem uma marca temporal e é registrada em um blockchain e sua evidência é replicada por uma rede inteira.

Como as transações podem ser anônimas, isso oferece um registro completo e sem falhas que permite um processo seguro e privado. Para resumir, você obtém a segurança de um banco confiável e de boa reputação, mas com liberdade e tarifas muito melhores de uma organização menor. Mas antes que o bitcoin cause uma revolução no mercado, ainda existem algumas regulamentações que precisam ser resolvidas.

No entanto, o blockchain não é só uma tecnologia para o setor financeiro. Ela tem uma série de aplicações para revolucionar a forma como fazemos negócios.

Imagine, por exemplo, que você está contratando um caminhão de mudança:

  • O caminhoneiro é o dono do negócio e pertence à mesma rede de blockchain que você. Ele prometeu que o caminhão chegaria em um local específico em um determinado dia (que era muito conveniente para você). Você pagará US$ 1.000, o que é um valor razoável por esse serviço conveniente.
  • Vocês acordam que, no caso de o caminhão chegar um dia depois do combinado, você pagará US$ 800. Se chegar com dois dias de atraso, você pagará US$ 600, o que não é muito lucrativo para o dono do negócio.
  • A transação do pagamento é processada no ponto de origem para que o caminhoneiro saiba que o dinheiro está disponível, mas o valor final só estará ativo no momento em que o caminhão chegar ao destino.
  • Como o pagamento é controlado por um sistema de localização, ele ficará ativo automaticamente na conta da empresa depois que ela confirmar o ponto de destino e a data de chegada.

Como você pode ver, a mesma filosofia pode ser aplicada a diversos setores, conectando fornecedores, produtores e consumidores na mesma rede segura, confiável e em tempo real.

Na Valid, temos a tecnologia que integra nossas soluções e serviços de IoT para qualquer rede baseada em blockchain para os setores de agricultura, comunicações, finanças, transportes, mineração e diversos outros, e isso nos dá a capacidade de contribuir para um mundo mais conectado e descentralizado.

Para mais informações sobre as soluções da Valid em IoT, acesse: https://valid.com/what-we-do/iot-and-track-trace/iotek-iotm2m-end-end-solution/.