Biometria Facial: A nova cara da Identificação Segura

||Biometria Facial: A nova cara da Identificação Segura
2018-07-10T18:45:17+00:0010/07/2018|Tags: , , , |

A biometria facial é um salto à frente da biometria pela impressão digital. Desenvolvida pela primeira vez na década de 1960, a tecnologia vem se tornando acessível ao mercado de massa – tanto para a aplicação da lei quanto para os consumidores privados. Estudos apontam que a biometria facial será o futuro da identificação segura. Mesmo emergente, essa indústria deverá atingir 7,76 bilhões de dólares até 2022.

O crescimento do mercado global de reconhecimento facial deverá ser impulsionado por vários fatores, como a crescente necessidade de vigilância e monitoramento aprimorados em locais públicos e o uso crescente de tecnologias de reconhecimento facial em indústrias, como o governo. A tecnologia ainda é cara, mas ganha força graças a grandes empresas que trabalham com modelos chamados open source, ou seja, que tem os códigos de tecnologia abertos para qualquer um que queira trabalhar com eles.

Mas, você sabe como a biometria facial funciona?

A biometria facial é uma tecnologia orientada a medição dos dados biométricos de uma pessoa. No caso da face, é possível medir a distância entre os olhos, o tamanho do nariz, altura do rosto… enfim, uma série de informações possíveis de se calcular através de algoritmos. São esses algoritmos que definem e identificam as diferenças e singularidades das pessoas.

Outra característica do reconhecimento facial é a praticidade, por ser uma tecnologia menos invasiva e de fácil aplicabilidade – afinal, praticamente todo cidadão possui um smartphone hoje em dia.

O portfólio da Valid conta com uma ferramenta inovadora de alta tecnologia de reconhecimento facial para garantir precisão na identificação. A solução já está em operação em um banco privado da Colômbia e garante uma autenticação segura no app da instituição graças ao recurso liveness detection incorporado, ou seja, um sistema que analisa indícios de “prova de vida” para garantir que a comparação seja feita a partir da imagem de uma pessoa viva e obtida ao vivo.

Porém, quando a gente pensa em segurança, não existe uma tecnologia absoluta. O melhor cenário é a combinação delas. Solicitar a impressão digital e a biometria facial de uma pessoa me parece a forma mais segura de garantir a confiabilidade de uma transação: identificação de um funcionário, validação de uma transferência bancária, validação de acesso a um sistema, e muito mais.

A grande notícia no meio disso tudo é a evolução. Enquanto se discute a diminuição da privacidade nos dias de hoje, é inegável que caminhamos para um mundo digital mais seguro. Empresas como a Valid investem cada vez mais em soluções confiáveis e complementares de identificação de pessoas, transações e objetos. Seja pela ponta do seu dedo, seja pela íris do seu olho.

Fontes:

Portal: marketsandmarkets.com (November 2017)

TV: Mundo S/A – Globo News (Maio 2018)