As tecnologias vestíveis (wearables) avançam para as massas. Depois de alguns anos sendo restrita ao mundo dos early adopters – público que tem como estilo de vida experimentar as tecnologias e por isso trata-se de um grande aliado no processo de inovação -, o lançamento do dispositivo gerou lições aprendidas para o mercado financeiro, que agora investe no seu uso em larga escala.

2017-12-13T10:50:58+00:0014/03/2017|Tags: , , , |

As tecnologias vestíveis (wearables) avançam para as massas. Depois de alguns anos sendo restrita ao mundo dos early adopters – público que tem como estilo de vida experimentar as tecnologias e por isso trata-se de um grande aliado no processo de inovação -, o lançamento do dispositivo gerou lições aprendidas para o mercado financeiro, que agora investe no seu uso em larga escala.

O foco dos wearables como meio de pagamento para essa primeira geração de usuários foi provar que o consumidor não precisava de carteira ou celular para realizar seus pagamentos de maneira segura e automatizada. Missão cumprida. É a próxima geração que vai exigir criatividade e convergência da indústria.

A experiência de comprar e pagar deve ser simples, rápida e intuitiva, assim como a autenticação e a identificação de fraude devem ser também. O usuário deseja transações comerciais descomplicadas mas com as despesas controladas por ele e com facilidades, através de app’s e uso de “Data Intelligence”  que o empodere com a opção da escolha, de onde, como e quanto consumir.

Junto ao wearable deverão ser oferecidas funcionalidades que garantam tais  facilidades e serviços que o cliente final espera.

A tecnologia de pagamentos digitais (com a evolução dos Bancos Digitais, blockchain, beacons) e a internet das coisas aliados à adoção de inteligência artificial cognitiva evoluem para contribuir na melhoria da percepção e da experiência destes usuários. Certamente será a experiência positiva do consumidor a chave para que esse novo meio de pagamento seja integrado em seu cotidiano e utilizado a médio e longo prazos.

Comércio preparado

A maioria das maquininhas para pagamento com cartão no Brasil já contam com a tecnologia NFC (Near Field Communication), que permite a troca de dados entre o dispositivo vestível e a rede de captura de transações. Na prática isso significa que os comerciantes já estão prontos para atender os meios de pagamentos móveis vestíveis. A tendência é que moedas digitais sejam cada vez mais aceitas, pois é de sua natureza ser mais interoperável do que o dinheiro comum.

Se as modas digitais substituirão os cartões (como os cartões substituíram as cédulas e moedas), o tempo responderá. O fato é que com o ambiente de digitalização em ascensão, os wearables são uma oportunidade latente.